quinta-feira, 24 de abril de 2008

A Cidade do Pôr-do-Sol

A luz parecia se ocultar dela pelo asfalto encovado,
Ela vivia, crescia na Cidade do Pôr-do-Sol.
Inventada de mil luas, mil sóis, mil contos e mil lendas.
Ela ria, chorava pela Cidade do Pôr-do-Sol.
A única estrada que ninguém conheceu foi a que ela começou.
Ela andou, caiu na Cidade do Pôr-do-Sol.
Caminhou com dois pés e outros dias via-se quatro em dias que aparentavam sonho.
Ela amou, esperou o alguém na Cidade do Pôr-do-Sol.
Pensou estar no ar durante eras, sendo que trazia ao firmamento raízes envoltas em seu pescoço.
Ela chegou e se foi da Cidade do Pôr-do-Sol.
A estrada perdeu as cores que ela pacientemente pintou, perdeu as nuvens que ela colecionou.
Perdeu o sol que ela abraçou.
Pois ela partiu da Cidade do Pôr-do-Sol que a partiu em mil memórias.

--Por Alessandra/2007

2 comentários:

Sw? disse...

Oii!!
Nossa, seu blog tah muito bom!!!

to adorando ler os textos daqui^.^

parabens...
abraços teh mais

Sw? disse...

tem coisa pra vc no meu blog viu?
passa lah pra ver o que eh

bjjj